Edição # 97 – dezembro de 2015 / Kislêv - Tevet 5776.
 Boas vibrações no maior encontro do Judaísmo Reformista da América do Norte
Você consegue imaginar cinco mil pessoas rezando juntas no serviço de Shabat? Uma sala de conferências que reúne 540 rabinos,
120 chazanim (cantores litúrgicos), coral voluntário com 120 pessoas, 250 presidentes de congregações, educadores e membros de congregações? Assim foi a URJ Biennial 2015, da Union for Reform Judaism (URJ), de 4 a 8 de novembro, em Orlando, na Florida (EUA).



Presentes à URJ Biennial (Fotos: David Braun)




(E-D) Joe Biden e Rick Jacobs

A conferência teve a presença de personalidades, como o vice-presidente dos EUA, Joe Biden, que homenageou seu amigo pessoal, embaixador rabino David Saperstein. Confira a palestra no vídeo.




O consagrado ator Michael Douglas revelou que através do desejo de seu filho em fazer bar-mitzvá em uma sinagoga reformista de Nova Iorque, que aceita a patrilinearidade, se reencontrou com o judaísmo em um espaço receptivo e acolhedor a toda sua família.


(E-D) Michael Douglas e Rick Jacobs




Charles Bronfman

Na abertura, o presidente da URJ, rabino Rick Jacobs, incentivou a prática da "audacious hospitality", o apoio a Israel e às causas reformistas.

Ele também fez uma homenagem a Charles Bronfman, filantropo co-fundador do programa Birthrighth/Taglit, criado em 1999 e que neste ano atingiu a marca de 500 mil jovens de quase 65 países que tiveram a oportunidade de vivenciar a cultura judaica em Israel.




Os movimentos URJ (norte-americano) e WUPJ (mundial) sempre tiveram laços fortíssimos e hoje se reforçam com a direção de Carole Sterling e rabino Daniel Freelander, chair e presidente da WUPJ; e de Daryl Messinger e rabino Rick Jacobs, chair e presidente da URJ.


Daryl Messinger



Durante o encontro da URJ, a WUPJ organizou um jantar de gala em homenagem aos rabinos Lennard Thal e Daniel Freelander,
que receberam o International Humanitarian Award.



Daniel Freelander

Jantar de Gala

Lenny Thal



Depoimentos sobre a URJ Biennial 2015

Participar de uma Conferência da URJ - Union for Reform Judaism (União do Judaísmo Reformista) é algo que todo judeu deveria fazer pelo menos uma vez na vida. Eu tenho tido a oportunidade, ao longo desses 15 anos que atuo no movimento reformista na América Latina e como participante do board mundial da instituição WUPJ, de participar e organizar diversas conferências e eventos. Mas a URJ Biennial é algo único e inédito. Voltei para casa com forças renovadas, cheia de ideias e projetos a realizar. Cada vez mais sinto-me orgulhosa por fazer parte de um movimento que condiz com a vida judaica que vivo em minha casa e em todos os lugares que frequento. Um judaísmo inclusivo, acolhedor, moderno e atuante.

Miriam Vasserman
Vice Chair WUPJ / Vice Chair WUPJ Latin America



À medida que a Biennial acontecia, experimentei uma mistura de emoções e de sensações que, finalmente, consegui entender, sintetizar e expressar: trata-se simplesmente de segurança. É estranho, mas nunca tinha sentido tão profundamente isso em Israel, que, afinal, é a nossa garantia de sobrevivência como povo, religião e identidade. Talvez seja exatamente porque a Biennial aconteça na Diáspora, não sei. É grandioso. Mas é também profundo, pois oferece religiosidade, sabedoria, fé e alegria para compartilhar. É impossível não sentir a força contagiante do Judaísmo Reformista americano, de tal forma que, além de aprofundar nossa religiosidade e nossa identidade, fica a gostosa sensação de que, mesmo fora de Israel, não estamos sós. Pelo contrário, temos muitos irmãos, estamos seguros.

Hélio Zylberstajn
Voluntário WUPJ-LA



Foi um evento magnífico e memorável. Organização impecável. Desde a escolha da hotelaria, com seu centro de convenções perfeitos, incluindo atendimento, logística, gastronomia e respeitando rigorosamente os horários da programação até a parte técnica de audiovisual, filmagens, mega telões, áudio sem interferências e internet em todas as salas. Isso sem falar nas plenárias e inúmeras sessões durante três dias com palestrantes e dirigentes de altíssimo nível, com debates democráticos, honestos não deixando de lado as críticas. Um dos pontos altos é o engajamento com os jovens, focado na educação, conhecimento, ensinamentos, direitos civis, desafios, inovação e formação de lideranças. Os campos para jovens em todo os Estados Unidos são fabulosos e gigantescos. A experiência de ter participado foi ótima e inesquecível.

Erika Wolff
Voluntária WUPJ-LA




Galeria de fotos














Assista e ouça algumas sessões da Biennial URJ 2015 aqui.

Veja Mais fotos do evento aqui.

Assista todos os vídeos aqui.




Uma benção ao Estado de Israel,
pela ativista Anat Hoffman.

 Assembleia da WRJ 2015 – Brasil e Argentina presentes
A Women of Reform Judaism (WRJ) realizou sua assembleia durante o período da Biennial URJ 2015, em Orlando, na Flórida (EUA).

Foi uma experiência única para integrantes de organizações afiliadas à WRJ em todo o mundo, reforçando o papel das mulheres no movimento reformista/progressista.

A Fundación Judaica, da Argentina, foi representada por sua presidente, Patrícia Holzman, e pela secretaria de comunicação, Miriam Olchansky. " A Assembleia da WRJ, realizada em conjunto com a Bienal URJ, foi uma experiência única como modelo para las mulheres judias progressistas. A Fundación Judaica participou desta reunião, apresentando não somente os projetos e atividades que fazemos, mas também a estrutura e funcionamento em rede das nossas instituições. Retornamos com novas experiências e conhecimento para compartilhar em nossas próprias comunidades e organizações. "

Do Brasil, estiveram presentes Ruth Bohm e Dora Lucia Brenner, da Congregação Israelita Paulista (CIP). Segundo elas, "pela primeira vez, o GRUPO SHIRAT MIRIAM, participou oficialmente do congresso do WRJ. Fomos muito bem recebidas. Tivemos a oportunidade de expor um pouco sobre a nossa realidade que difere totalmente da realidade americana e, com isso, fizemos ótimos contatos e obtivemos apoio para desenvolver uma atividade diferenciada na nossa congregação bem como nas comunidades da América Latina. É muito importante fazer parte de um grupo tão ativo, com uma atuação tão presente junto às suas congregações".

Galeria de fotos.

 Líderes da comunidade argentina terão cargos no governo do presidente eleito Mauricio Macri
O recém-eleito presidente argentino, Mauricio Macri, que toma posse no dia 10 de dezembro, anunciou para o cargo de Ministro de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável o deputado Sergio Bergman, rabino, presidente da Fundação Judaica e da Fundação Argentina Cidadã. Vale lembrar que o novo ministro tem envolvimento ativo no movimento reformista, tendo participado do encontro Connections Rio-2015, organizado pela WUPJ, que teve a ARI-RJ como comunidade anfitriã.

Também fará parte do novo gabinete, na pasta de Direitos Humanos, Claudio Avruj, atual subsecretário de Direitos Humanos e Pluralismo Cultural do Governo da Cidade de Buenos Aires e ex-presidente do Museu do Holocausto.





(E-D) Claudio Avruj e Sergio Bergman
 Ventos de Reforma vindos do sul

Rabino Bergman e rabino Bursztein apresentam o projeto de voluntários locais.

Membros da WUPJ - -LA embarcado em escritórios de fundação Judaica em Buenos Aires, estabelecendo as diretrizes de projeto.

Rabino Bergman, Patricia Holzman, Raul Gottlieb e
Miriam Vasserman discutindo o projeto Mechina

Esta é a hora. Não há 50, nem há 20, nem há mesmo 10 anos atrás, mas agora. Durante muitos anos judeus Latino Americanos desenvolveram comunidades sionistas vibrantes e altamente educadas. Mas mesmo que os judeus liberais e reformistas estavam presentes desde o começo, não foi até alguns anos atrás que o Judaísmo Reformista começou a crescer neste continente. Além do mais, qual é a chave para um crescimento bem-sucedido? O treinamento de rabinos locais como Rabinos Reformistas. Nas palavras do Rabino Sergio Bergman, líder da Fundación Judaica na Argentina, membro do Congresso Nacional, membro do CCAR e rabino formado pelo HUC de Jerusalém:

"É uma questão de pensamento a médio e longo prazo. Nada começou quando chegamos. Muitos líderes antes de nós traçaram o caminho do judaísmo liberal na América Latina. Muitas gerações depois da nossa deverão ter a oportunidade de viver o seu judaísmo e continuar o nosso trabalho. É o nosso dever para com eles, pois nós somos somente mais um elo nesta corrente de gerações, para reforçar as nossas comunidades, para aprofundar nosso vínculo com Israel e, por último, mas não menos importante, para manter as nossas raízes judaicas vivas. Na verdade, o fato de ter rabinos locais não é somente a questão de ter professionais excelentes para liderar as nossas comunidades, mas para garantir a continuidade do Judaísmo Latino Americano com a sua própria idiossincrasia pessoal".

Raul Gottlieb, Presidente do WUPJ-Latin America fala:

"Não há dúvida que nossas comunidades precisam dos seus próprios rabinos. Neste momento, não dispomos de um Seminário Rabínico Reformista, mas começando com uma Mechina, nós podemos preparar os nossos candidatos para que terminem os seus estudos na HUC de Jerusalém. Estamos comprometidos com este objetivo mas sabemos que não podemos fazer isto sozinhos. Somos parte de uma família maior e precisamos da ajuda da WUJP nesta fase".

Patricia Holzman, Presidente da Fundación Judaica em Buenos Aires, acrescentou:

"Temos trabalhado intensamente para construir a infraestrutura necessária para estar onde estamos agora. Estamos prontos para o lançamento no começo de 2016 (Março). Até agora, temos recebido apoio total da WUPJ e HUC. Nossos voluntários e professionais estão comprometidos com o sucesso deste projeto e estamos seguros que com o nosso primeiro grupo de alunos, estaremos dando um novo impulso ao Judaísmo Reformista na nossa região. As coisas estão mudando e o nosso movimento precisa se fortalecer para atender às necessidades destas comunidades. Com a ajuda e apoio da WUPJ como uma família global, esta Mechina Rabínica para Judeus Reformistas da América Latina pode – e irá! – se tornar uma realidade".

 Conib e WUPJ apoiam revisão de rolos antigos de Torá em Pernambuco

Tora do século 12, considerada a mais antiga do mundo. Foto: Universidade de Bolonha.

O Centro Israelita de Pernambuco recebeu a visita da escriba Rachel Reichhardt para fazer a revisão de 15 Sifrei Torá antigos e que havia dúvida se permaneciam kasher. A iniciativa contou com o apoio da WUPJ-LA e da Confederação Israelita do Brasil (Conib). Rachel é credenciada como soferet stam (escriba) pelo Seminário Rabínico Latino Americano de Buenos Aires, Argentina. Na visita ao CIP, celebrou um Shacharit Shabat, marcando a primeira vez no Recife em que os serviços religiosos foram conduzidos por uma mulher.


Rachel Reichhardt com Ida Katz
 Global Day of Jewish Learning / Dia Mundial de Estudos Judaicos 24X24
Pela terceira vez consecutiva, o rabino Uri Lam, da Congregação Israelita Mineira (CIM), dirigiu a única sessão em português das 24 sessões ao vivo, transmitidas do mundo inteiro na sexta edição do Global Day of Jewish Learning. Nos últimos dois anos, o rabino Uri dirigiu as aulas junto com o líder religioso da SIBRA, Guershon Kwasniewski, que participou ao vivo, via internet, de Porto Alegre. A sala da CIM teve lotação esgotada e a audiência via internet esteve entre as mais altas. O tema do Global Day foi "Amor: Devoção, Desejo e Decepção". O tema da palestra foi "Amar a Deus e Amarmos a Nós Mesmos".


 Obrigado! 20 Anos de Família e Comunidade na Escola Comunitária Arlene Fern


A Escola Comunitária Arlene Fern completou 20 anos de vida e festejou com todos os responsáveis por sua história: Família, Docentes, Dirigentes e Alunos. Todos juntos participaram de uma maratona recreativa revivendo alguns marcos da escola desde sua fundação.

O evento foi realizado no Parque Norte, em Buenos Aires, e teve uma linda sucá construída por voluntários e decorada com todos os votos de felicitações que as famílias da escola escreveram em comemoração deste 20° aniversário.

Balões foram soltos simbolizando estes desejos de ver, em futuro próximo, Escola, Sinagoga e Comunidade reunidos no Centro Comunitário Judaica Belgrano, com suas obras de construção já iniciadas.


 Uma geração vai-se, e outra geração vem, mas a terra permanece para sempre. Eclesiastes 1:4
Dia 5 de novembro, 62 milhões de m3 de lama tóxica foram derramados no Rio Doce em Maringá, MG, Brasil. Os números só dão uma pequena dimensão desta tragédia: 17 mortos, 18 desaparecidos, todos os peixes nos rios morreram (algumas espécies estão extintas), milhares de animais estão soterrados, 7 municípios foram devastados e mais de 800.000 pessoas estão sem água e, segundo alguns especialistas, deve levar mais de um século para recuperar a devastação ambiental causada pelo acidente.


Neste dia 6 de dezembro, um mês depois da tragédia de Mariana, acenderemos a primeira vela de Chanuca, quando lembramos quando os judeus re-dedicaram o Templo. Que enquanto acendemos nossas velas e cantamos nossas canções, pensemos que muitos não podem ainda re-dedicar suas vidas pois suas casas estão embaixo da lama e que a devastação ambiental irá impactar a vida de milhões por muitos anos mais.

"Judaísmo ensina que temos uma obrigação sagrada para com o nosso Criador, para com a Criação, e para com futuras gerações para salvaguardar e proteger os ecossistemas da Terra. Antes do Dilúvio, Noé e a sua família protegeram pelo menos dois de cada espécie de animal, permitindo que todas as criaturas tivessem uma passagem segura de uma era da história humana para a próxima. Depois do Dilúvio, Deus disse para Noé: "Eu estabeleço o meu pacto com você, e com os seus descendentes, e com cada criatura viva que está com você, dos pássaros, do gado, e de cada animal feroz da terra com você" (Gênesis 9:9) … Nossa herança nos chama para servir como protetores e defensores das criações magnificas de Deus, assegurando a passagem segura de todas as criaturas de uma era para outra protegendo os seus habitats. É o nosso dever – como pessoas de fé e cidadãos da nossa nação, nosso mundo, e nossa biosfera – de salvaguardar e tecer juntos o emaranhado de florestas remanescentes da melhor maneira possível …" - [CCAR, "Protegendo Ecossistemas de Florestas Antigas", março 2000]




Cadastre-se para receber por email nossa Newsletter Internacional