Edição # 96 – novembro de 2015 / Cheshvan - Kislêv 5776.
 Sucot e Simchat Torá: história, confraternização e alegria do judaísmo
Depois do período das Grandes Festas, as congregações afiliadas à WUPJ Latin America comemoraram as importantes datas de Sucot, Shemini Atzeret e Simchat Torá. Explicações sobre passagens históricas, jantares e muita dança fizeram parte das atividades especialmente preparadas para as ocasiões. Confira a galeria de fotos:



 WUPJ Latin America participa do Congresso Sionista


Miriam Vasserman
, vice-presidente da WUPJ-LA e membro do Management Committee (Comitê de Gestão) do Executive Board (Comitê Executivo) da WUPJ International, participou da 37ª edição do Congresso Sionista, realizado pela WZO (World Zionist Organization), em Jerusalém, entre os dias 20 e 22 de outubro.

"Cada vez que viajo a Israel volto transformada e sempre mais conectada com esse tão complexo e especial país. Participei, pela segunda vez, como delegada do Movimento Reformista-Arzenu e WUPJ- do 37º Congresso Mundial Sionista, fundado em 1897 por Theodor Herzl e que acontece a cada 5 anos em Jerusalém. Apesar dos tempos difíceis, a significativa presença de delegados (190 de Israel, 145 dos Estados Unidos e 165 dos demais países do mundo) reflete o comprometimento do mundo judaico com a causa Sionista. A Organização Sionista Mundial-WZO, Agência Judaica-Sochnut e Keren Kayemet Le Israel-Fundo Nacional Judaico exercem um papel fundamental na determinação das políticas relacionadas à Educação, Identidade Judaica para Israelenses e Judeus ao redor do mundo e assuntos relacionados a liberdade religiosa e igualdade de gêneros. As 165 resoluções com os mais diversos assuntos foram discutidas, muitas vezes de forma bastante acirrada, e finalmente colocadas para aprovação. O Movimento Reformista consolidou seus valores de responsabilidade com a democracia, pluralismo religioso e busca da paz. Participar de um congresso do WZO é uma experiência que todo o judeu deve ter pelo menos uma vez em sua vida."
O Congresso Sionista reúne-se a cada cinco anos e é o mais importante fórum democrático de judeus de todo o mundo, com a participação de aproximadamente dois mil ativistas. Cerca de 500 delegados de Israel e das comunidades judaicas na Diáspora participam de um processo de votações de resoluções e emendas constitucionais.

Movimento reformista – Antes do Congresso Sionista, o Arzenu, entidade internacional que representa judeus reformistas, aproveitou a presença de representantes de mais de trinta países e realizou seu encontro internacional. Além de discutir os desafios e apresentar as conquistas do judaísmo progressistas, foram homenageados alguns ativistas, dentre eles Nelson Kuperman, ex-presidente da ARI-RJ. Ele, que é fundador e líder da Chazit Mitkademet – Frente dos Judeus Liberais, ramo brasileiro do ARZENU, recebeu placa comemorativa juntamente com o Rabino Stanley Davids - ex-presidente da ARZA, membro do Board of Governors da Agência Judaica e do Executivo da Organização Sionista Mundial – e Menachem Leibovic, vice-presidente do KKL e ex-diretor geral da WUPJ.



Veja mais fotos de Dale Lasar nos links: 1, 2, 3

 Dia Mundial de Estudos Judaicos
Acontece no dia 15 de novembro, domingo, a 6ª edição do Global Day of Jewish Learning, projeto liderado pelo rabino Adin Steinsaltz, de Israel, que promove 24 horas de estudos judaicos com a participação de mais de 500 comunidades. O tema deste ano é "Amor: devoção, desejo e decepção".

No Brasil, a atividade será encabeçada pelo rabino Uri Lam, na Congregação Israelita Mineira (CIM), em parceria com a SIBRA (Sociedade Israelita Brasileira, Porto Alegre) e seu líder religioso Guershon Kwasniewski, a partir das 19h. Saiba mais no site
.

 Temas judaicos sob a ótica feminina
O grupo Shirat Miriam promoveu na Congregação Israelita Paulista (CIP) o primeiro "CaféVeUgá", um momento descontraído com café, bolo e bate-papo. A ideia é realizar os encontros mensalmente. Criado na CIP em 2013 como o primeiro grupo na América Latina do WRJ-Women for Reform Judaism (http://www.wrj.org/), o Shirat Miriam tem como proposta o estudo, a reflexão e o debate de temas judaicos sob a ótica feminina.


 Novo líder espiritual no Chile
A comunidade Ruaj Amí, de Santiago de Chile, formalizou a contratação de Diego Edelberg como novo líder espiritual. Em uma entrevista exclusiva a David Abodovsky, diretor do site, Edelberg enfatizou o desejo de desenvolver as atividades da comunidade em conjunto com os ativistas e profissionais. Para ler a íntegra da entrevista, clique aqui.
 Para que o Holocausto jamais se repita

A comunidade judaica do Brasil lamenta a perda, no dia 9 de outubro, de Ben Abraham z'l, sobrevivente do holocausto que fixou residência no país desde 1954. Nascido em Lodz, na Polônia, ele faria 91 anos em dezembro. Presidente da Sherit Hapleitá do Brasil (Associação Brasileira dos Sobreviventes do Nazismo), defendia a ideia de que as atrocidades que os judeus – inclusive ele – sofreram nos campos de concentração sejam ensinadas nas escolas para que a história jamais se repita. Com o mesmo objetivo, escreveu diversos livros e fez inúmeras palestras por todo o Brasil, muitas delas em entidades vinculadas à WUPJ.

 Conexão entre a natureza e o sagrado
Hermano Wrobel, presidente da ACIB – Associação Cultural Israelita de Brasília –, apresentou fundamentos da cultura judaica e sua ligação com a Terra e a preservação do meio ambiente durante evento realizado pelo ICMBIo - Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. Representantes das igrejas católica, protestante, muçulmana, de matriz africana, entre outras, também apresentaram seus pontos de vista.
 Comunidade da Guatemala ganha novo Aron Hakodesh
A congregação Adat Israel, na Guatemala, faz um agradecimento especial aos ativistas que tornaram realidade a construção de um novo Aron Hakodesh feito artesanalmente em madeira. Os agradecimentos foram a Rony Veliz, Mel Gonzalez e à família Moncada Beteta. Alguns pelo aporte financeiro; outros pela mão de obra e talento para a escultura.



 Delegação brasileira visita Vaticano nos 50 anos da Declaração Nostra Aetate
O Papa Francisco recebeu em 21 de outubro, no Vaticano, lideranças da comunidade judaica mundial. O Brasil foi representado por Fernando Lottenberg, presidente da Conib, e Rabino Michel Schlesinger (CIP-Congregação Israelita Paulista), representante da Conib para o Diálogo Inter-Religioso. A delegação da Conib foi acompanhada pelo cardeal Dom Odilo Scherer.

O encontro fez parte da celebração dos 50 anos da Declaração Nostra Aetate, que aproximou judeus e católicos após 2 mil anos.

Em junho, os rabinos Michel Schlesinger e Uri Lam (Congregação Israelita Mineira); Carlos Barbouth, ex-presidente do Conselho de Fraternidade Cristão-Judaica; e a Irmã Cristiane dos Santos, deste Conselho, participaram em Roma da conferência "O 50º aniversário de Nostra Aetate: Passado, Presente e Futuro do relacionamento cristão-judaico".



 Binyamin Netanyahu recebe delegação da Federação Israelita-SP
O primeiro-ministro de Israel, Binyamin Netanyahu, recebeu, pela primeira vez, uma delegação da Federação Israelita de São Paulo-SP (Fisesp), que realiza a sétima edição da "Hassefá Ba'Aretz" ("Reunião em Israel"). Os temas abordados foram: o conflito no Oriente Médio, o Estado Islâmico, Rússia, Estados Unidos e a relação com o Brasil. O premier afirmou que China, Índia e Brasil são prioridades para a política externa israelense. Destacou a crescente comunidade cristã brasileira como um aliado de Israel e comentou as dificuldades em encontrar um interlocutor do lado palestino. O rabino Ruben Sternschein (CIP-Congregação Israelita Paulista) participou do encontro.




 "Vocês não afligirão nem oprimirão o estrangeiro, porque foram estrangeiros na terra do Egito." Shmot 22:20


No último dia 29 de outubro, o Congresso Judaico Latino-americano e a WUPJ-LA promoveram mais um encontro de jovens.

Nossos convidados, Padre Paolo Parise e Andre Wajnberg compartilharam histórias emocionantes de pessoas com quem interagiram.

O padre Paolo segue a Congregação dos Missionários Scalabrinianos, uma ordem da igreja católica dedicada a acompanhar imigrantes e refugiados. Nosso convidado contou da organização que trabalha, onde mais de 80 pessoas são voluntárias além dos profissionais e estagiários, recebe imigrantes e refugiados e organiza a hospedagem, dá apoio psicológico, médico, oferece aulas de português e da cultura brasileira. Este ano, eles conseguiram empregar mais de 1300 imigrantes e mais de 2700 ano passado.

Os padres fazem campanhas no congresso e frente a outros órgãos públicos para que estas pessoas sejam recebidas de forma digna e que seus direitos sejam respeitados. Imigrantes do Congo, Angola, Haiti entre outros lugares são sempre bem-vindos independente de raça ou religião.

Nosso convidado Andre Wajnberg, contou sobre a crise de refugiados em Israel, e como a falta de um órgão responsável pela absorção e recepção torna a realidade dos campos de imigrantes em Israel um problema crônico. Pessoas vindas da Eritréia e do Sudão podem esperar até mais de 10 anos para ter sua situação reconhecida e legalizada. Mesmo com os ensinamentos de nosso patriarca Abraham que recebia em sua tenta todos os viajantes de braços abertos, hoje a realidade é bem diferente. Nossa história nos ensina que durante os anos pré e pós Shoá, nossos pais e avós enfrentaram o preconceito de serem estrangeiros e as cotas e leis que limitavam a entrada de judeus em certos países. Mesmo assim em muitos países, fomos recebidos e pudemos se estabelecer trabalhando para que nossa comunidade floresça e cresça.

Os participantes deste encontro saíram muito emocionados de ver como a dedicação de algumas organizações pode mudar a vida de muitas pessoas, e como nós somos diretamente responsáveis pelo bem-estar e direito dos outros.
 Beatriz Vitas z'l
Durante muitos anos, nossa querida Beatriz Vitas z'l, iluminou e impulsionou com sua energia e seu trabalho voluntario a construção comunitária, não só da CIRA e da Fundación Judaica, mas a comunidade judaica como um todo. Era um pilar extraordinário no diálogo inter-religioso, ações solidárias e transmissão dos valores judaicos. Sua dedicação incondicional nos incentiva a continuar sua missão. Que sua alma permaneça unida aos laços da vida eterna.