Edição # 95 – outubro de 2015 / Tishrei - Cheshvan 5776.
 Rosh Hashana e Iom Kipur: a WUPJ onde você estiver
América Latina


O período das Grandes Festas é de casa cheia nas sinagogas em geral. Nas congregações da WUPJ Latin America, evidentemente, não é de outro jeito. A seguir, você pode conferir uma galeria de fotos de momentos marcantes, repletos de emoção e espiritualidade.


Adat Israel


ACIB


CIM


SIBRA

Adat Israel


AIC


Recife


SIC


Espanha e Estados Unidos


Rosh Hashana e Iom Kipur também confirmam a união de judeus no mundo todo. Nesse sentido, vale ressaltar as experiências de dois ativistas da América Latina que passaram essas datas longe de casa. Ricardo J. Rotholtz, da Argentina, teve o privilégio de acompanhar o primeiro serviço religioso reformista em Madrid, na Espanha.



David Kirsch, do Brasil, ficou emocionado com a cerimônia no Temple Sinai, em Orlando (EUA).




China


Um Sefer Torá doado pela ARI-RJ possibilitou a realização do primeiro serviço religioso de Rosh Hashana em 70 anos na antiga sinagoga Ohel Moshe, no distrito chinês de Hongkou. No local, funciona um museu, mas as autoridades chinesas autorizaram seu uso para as celebrações do ano novo judaico.

O Sefer Torá foi doado à Kehillat Shangai durante a conferência Connections 2015, realizada em maio, no Rio de Janeiro. O Sefer Torá chegou ao Brasil na época da Segunda Guerra Mundial, quando o chazan Joseph Joseph Aronsohn fugiu da Alemanha pela rota de Xangai.



 Rabino da ARI ganha prêmio "Homens de ação, homens de valor"
O rabino Sérgio Margulies, da ARI-RJ, foi um dos homenageados com o prêmio "Homens de Ação, Homens de Valor", promovido pelo clube "Hebraica-Rio". O reconhecimento é concedido a dez personalidades de destaque em suas atividades na comunidade judaica e na comunidade maior. Além de Margulies, foram homenageados Bernardo Griner (engenheiro e ativista comunitário); Flavio Stanger (geneheiro e empresário); Kobi Lichtenstein (pioneiro do Krav Magá no Brasil); Leonel Kaz (escritor, jornalista e editor); Luiz Gleizer (diretor-geral de núcleo da Rede Globo); Marcelo Calero (Secretário Municipal de Cultura do Rio de Janeiro); R ony Meisler (proprietário da marca Reserva); Rubem Cesar Fernandes (antropólogo e administrador da ONG Viva Rio); Ziraldo (escritor, cartunista e chargista).



 Explicando o judaísmo progressista para os jovens
A diretora executiva da WUPJ-LA, Karin C. Zingerevitz, participou de uma descontraída conversa com alunos do 2º ano do Ensino Médio no Colégio Renascença, dentro da proposta da escola de apresentar diversas correntes do judaísmo. Karin falou sobre temas polêmicos, como a responsabilidade de cada indivíduo feito à imagem de Deus e diante de situações como a dos refugiados sírios. Ela também abordou as fontes judaicas de onde os rabinos elaboraram as regras do judaísmo tradicional e como o judaísmo progressista pode abrir possibilidades na busca individual para honrar os valores e tradições.

 Recife reinaugura biblioteca

Reinauguração da "Biblioteca Anne Frank - Homenagem
Ramiro Koatz e Anita Printsak", com o Sr. Israel Averbuch
afixando a Mezuzá na porta de entrada.

 Ajuda aos refugiados que buscam asilo na Europa
A região europeia da WUPJ (EUPJ) está organizando uma campanha de donativos - Refugee Crisis Appeal - para ajuda aos programas de absorção dos refugiados de guerras e perseguições que estão chegando à Europa. A organização World Jewish Relief está centralizando os valores arrecadados. Mais informações no site.

 Inscrições abertas para o Seminário Beutel de Liderança 2016
Realizado pela primeira vez em 2004, o Seminário Beutel de Liderança, promovido pela WUPJ em Israel, evidencia a importância da formação e capacitação de lideranças sem formação rabínica nas comunidades progressistas.

Como centenas de pessoas já participaram da programação, é comum encontrar ex-alunos do Beutel contribuindo de diversas maneiras nas comunidades que fazem parte da WUPJ.

A próxima edição do Seminário Beutel será de 4 a 14 de fevereiro de 2016, em Israel. O formulário de inscrição e a programação prévia estão no website do Instituto Internacional de Educação Anita Saltz, da WUPJ.

 WUPJ-LA apoia curso para líderes educadores em São Paulo


O Shidrug é um curso promovido pela Congregação Israelita Paulista/CIP-SP, de reciclagem e aprofundamento dos conteúdos judaicos, resultando em maior qualidade, diversidade e quantidade no desenvolvimento da formação da liderança jovem e de seu posicionamento frente à sociedade.

Para esta turma, foram selecionados 16 jovens: da CIP, Comunidade Shalom, Federação Israelita de São Paulo, Fundo Comunitário e Colégio Renascença.

A aula inaugural foi realizada dia 20 de setembro, teve a participação especial de Michel Gherman, Professor da UFRJ e diretor Escola Eliezer Max (RJ) e Fernando Lottenberg, presidente da CONIB, que conversaram sobre o tema: Desafios educativos e institucionais dos judeus e do judaísmo no Brasil. A WUPJ-LA apoia este projeto inovador e visionário.




 Encontro na Sucá
O CJL- Congresso Judaico Latino-americano e a WUPJ-LA organizaram no dia 1º. de outubro, um encontro maravilhoso na sucá com o tema: "Uma geração no deserto, uma vida nas ruas."

Nossos antepassados viveram por mais de 40 anos em moradias instáveis e frágeis. Acreditamos que ao comemorar Sucot, quanto nos abrigamos em tendas, nos lembramos desta vulnerabilidade de moradia e este foi o momento escolhido para conversarmos sobre a falta de habitação da população paulistana que vive nas ruas, na incerteza de onde irão dormir e como será seu sustento.

A convidada deste encontro foi a ativista Andrea Pludwinski, idealizadora do Grupo Anjos da Cidade, que por mais de duas décadas vem se preocupando com a população sem teto de São Paulo. Ela nos contou como serve comida e carinho a esta população e como isso impacta as vidas e futuro dos desabrigados. O Grupo Anjos da Cidade visita todas as semanas pessoas carentes de moradia e alimentação, mas mais que isso, eles são privados de respeito e dignidade, e é este tipo de sustento que Andrea e seu grupo tenta servir.

Aproximadamente 30 jovens estiveram na Sucá, escutando as histórias que Andrea escuta nas ruas e aprendendo mais sobre a realidade da nossa cidade. Todos os participantes doaram comida e vestimenta para serem distribuídos pela ong.


 Perguntas e respostas do judaísmo progressista
Como você festeja as Festa Judaicas?

'Estas são as festas em minha honra, que eu vos ordeno celebrar com uma reunião especial' Levítico 23:2.

As festividades são uma importante parte da vida judaica e da vida de todo judeu. Elas desempenham um papel crucial mantendo a tradição viva, contribuindo para um censo de comunidade e sentimento de pertencer, e lembrando-nos dos eventos históricos importantes – bem como fornecendo a possibilidade de reflexão e celebração.

As festividades judaicas mais importantes são o Shabat, as duas Grandes Festas (Rosh Hashaná e Yom Kipur) e as três festas de peregrinação (Pessach, Shavuot e Sucot).

É costume não trabalhar nestes dias. "Dias de Penitência" são os dez dias que começam com Rosh Hashaná e transcorrem até o final do Yom Kipur e são dedicados a introspecção, arrependimento e expiação dos pecados.

As três "Festas de Peregrinação"- Pessach, Shavuot e Sucot – são festas nas quais os judeus costumavam peregrinar ao Templo de Jerusalém e realizar oferendas da colheita a Deus.

Pessach (Páscoa) é a festa que comemora o Êxodo, a libertação dos Hebreus da escravidão no Egito.

Shavuot, a festa das semanas que ocorre sete semanas após Pessach, comemora a entrega da Torá.

Sucot é a festa da colheita que dura sete dias. O principal costume associado ao Sucot é o de construir e morar em uma cabana temporária, uma sucá, como forma de relembrar as vicissitudes dos nossos antepassados durante o tempo de perambulação no deserto.



Fonte: "Living Judaism – The key principles of Jewish Life" – UPJ/ Union of Progressive Judaism, região Australia, Asia e Nova Zelandia. www.upj.org.au