Edição # 93 – agosto de 2015 / Av – Elul 5775.
 Nostra Aetate: 50 anos de reconhecimento
Cerca de 250 pessoas participaram da Conferência Internacional de 50 anos da Nostra Aetate: Presente, Passado e Futuro do Relacionamento entre Cristão e Judeus, de 28 de junho a 1 de julho, em Roma.

A Nostra Aetate é um documento divulgado em 28 de outubro de 1965 que impulsionou o diálogo inter-religioso entre a Igreja Católica e as religiões não-cristãs, em especial o Judaísmo, com temas como repúdio à ideia de que os judeus teriam matado Jesus.

A delegação brasileira no encontro em Roma foi composta pelos rabinos Uri Lam – à época na Sociedade Israelita da Bahia e a partir de agosto na Congregação Israelita Mineira; veja nota mais adiante– e Michel Schlesinger, da Congregação Israelita Paulista e representante da Conib para o diálogo inter-religioso; e pelos integrantes do Conselho de Fraternidade Cristão-Judaica, Carlos Barbouth e irmã Cristiane dos Santos.



Rabino Michel Schlesinger e Papa Francisco

Rabino Uri Lam e Papa Francisco


Os participantes da conferência foram recebidos pelo rabino-chefe de Roma, Riccardo Di Segni, e pelo Papa Francisco.

Para o líder da Igreja Católica, "a Nostra Aetate foi o sim definitivo às raízes judaicas do cristianismo e o não irrevogável ao antissemitismo. Contribuiu de forma decisiva para o início de amizade e entendimento mútuo no diálogo entre católicos e judeus. Um balanço mostra que não somos mais estranhos, mas amigos e irmãos".

O rabino Uri Lam escreveu um artigo falando que a Nostra Aetate deu uma nova orientação para se criar uma imagem positiva do povo judeu e suas impressões sobre o encontro com o Papa Francisco.


Clique aqui para ler na íntegra


 Atentado à AMIA completa mais um ano sem solução
Lideranças da comunidade judaica internacional participaram, em Buenos Aires, de um ato em memória aos 21 anos do atentado à Asociación Mutual Israelita Argentina (AMIA) organizado pelo Congresso Judaico Latino-Americano. Na ocasião, foi realizado um debate sobre a impunidade, a morte do promotor Alberto Nisman, a ameaça do ISIS e os novos desafios para as comunidades judaicas.

O rabino da Fundación Judaica e deputado nacional, Sergio Bergman, fez duras críticas ao governo da presidente Cristina Kirchner por dificultar as investigações sobre o envolvimento do Irã no ataque. "Sabemos o que aconteceu e ninguém foi julgado", desabafou.

O presidente do Congresso Judaico Latino-Americano (CJL), Jack Terpins, afirmou que ainda espera justiça, tanto no caso do atentado à AMIA como na morte do promotor Alberto Nisman. "A cada ano que passa, sentimos aumentar a frustração da comunidade judaica, mas não desistiremos". E avalia: "Um grande problema é a bipolaridade da posição argentina, que, ora promete solucionar o caso, ora muda de atitude favorecendo o Irã".



 Momentos emocionantes no Seminário Bergman
Confira os depoimentos dos participantes do "The Bergman Seminar for Progressive Jewish Educators", realizado em julho, em Israel, com o tema "Criando conexões significativas".

Foi um seminário que todo educador e amante do judaísmo deveria realizar. Tenho certeza que levarei várias atividades que aprendi no mesmo, inspiradoras e enriquecedoras. Tais como, a visita à torre de David que contribuiu para as minhas aulas de história judaica.

A importância da auto expressão através do grafismo no walking tour Graffi. A dramatização como uma forma de ensinar. Acho que é uma dinâmica de extrema importância. A conectividade que o grupo teve sob a liderança maravilhosa do Rabino Steve Burstein, uma pessoa única e sem igual. As formas de realizar as rezas e que nos forneceu paz de espírito e diferentes perspectivas.

Foi muito bom ver como existe ainda pessoas dentro da comunidade israelense que se importam e que realizam trabalhos de integração entre árabes e israelenses tais como o circo e a colônia de férias e seu trabalho com cavalos.

Esse seminário foi de um aprendizado e estudo espetaculares e que incentivarei todos aqueles que lidam com educação e judaísmo a realizarem.


Bety Dimant, da Associação Religiosa Israelita do Rio de Janeiro




O Seminário Bergman foi uma oportunidade de estudar sobre diversos temas judaicos e sionistas, históricos e atuais, sob uma ótica liberal, atual e educativa, discutindo assuntos que concernem às nossas aulas e às nossas comunidades.

Conhecemos lugares históricos de Israel, onde discutimos assuntos como sionismo e Talmud, museus, onde conversamos sobre diferentes narrativas e abordagens, e iniciativas como o Circo da Galileia e a Colônia de Férias de Paz, que visam integrar crianças árabes e judias e começar o processo de paz a partir do início.

Cada uma dessas experiências era motivo para discussões e inúmeras reflexões.

O grupo era composto por educadores do mundo inteiro, o que ampliava as discussões com pontos de vista e experiências diversas. Além do curso, formamos um grupo que agora se conhece que pode compartilhar experiências, ideias e conteúdos.


Vivian Cukier, da Congregação Israelita Paulista




O Seminário Bergman é uma experiência única onde pude me encontrar com professores e educadores de outras partes do mundo que gostam de fazer o mesmo que eu: Educar para o judaísmo. Todos pudemos descobrir que a educação é construída com a visão de todos que fazem parte da história. Não existe bons, nem ruins, mas pontos de vista e diferentes realidades. Saí do seminário recarregada de energia e vontade de aplicar tudo o que trabalhamos em sala de aula. Desde Tefilot, realidade israelense e técnicas de expressão artística. Obrigado novamente por esta oportunidade.

Naty Meta, da Escuela Comunitaria Arlene Fern, Buenos Aires





Recomendo o Seminário Bergman a todos que trabalham com educação judaica. Não se trata apenas de um curso, mas sim de uma jornada de reciclagem e de experiências marcantes e únicas. Dilemas e perspectivas, pluralidade e integração são alguns dos pontos trabalhados durante o Seminário. Nesta jornada nós também nos colocamos a nós mesmos em perspectiva, distanciando-nos do nosso dia-a-dia, recarregando nossas baterias e promovendo um reencontro conosco mesmos e nossa missão de educadores. O Seminário Bergman do Anita Saltz Institute é uma oportunidade imperdível!

Theo Hotz, da Congregação Israelita Paulista











O Seminário Bergman me trouxe a possibilidade de reavaliar a minha condição de educador dentro da comunidade judaica progressista. Interessante reafirmar essa identidade judaica global, pois durante os dez dias que estivemos em contato com outros educadores de nove países diferentes podemos perceber a WUPJ como uma instituição coesa. Coesa por meio de sua agenda política de inclusão das mulheres na liturgia judaica, coesa através de sua pluralidade de interpretações para os valores judaicos e a defesa do ato de construir uma consciência da expressão judaica de forma coletiva e que faça sentido para a sua comunidade, e através de muitos outros exemplos.

O Seminário Bergman nos trouxe inspirações para exercer o ato de educar a partir de diversas linguagens, como por exemplo o workshop sobre a utilização de dramatização na educação, ou então para dar sentido ao ensinar o judaísmo através das sessões de estudo com o rabino Steve Burnstein. Acredito que a grande riqueza do seminário foi fazer de Israel um ambiente próspero para aprender judaísmo progressista no contato com diferentes comunidades, diversas ONG's, múltiplos educadores e experiências do mundo inteiro.

Rodrigo Baumworcel, da Associação Religiosa Israelita
do Rio de Janeiro

 Congregação Israelita Mineira tem novo rabino
Uri Lam, 46 anos, assume a partir de agosto o posto de rabino da Congregação Israelita Mineira (CIM), filiada à WUPJ desde a sua fundação, em 1996. Segundo Uri Lam, "após quase três anos à frente da comunidade judaica de Salvador, Bahia, chegou o momento de iniciar um novo ciclo em Belo Horizonte, Minas Gerais, como rabino da Congregação Israelita Mineira. A enorme responsabilidade de suceder o rabino Leonardo Alanati, que liderou a comunidade por quase duas décadas, vem acompanhada de grande entusiasmo.

A CIM é uma congregação vibrante, com pessoas de todas as idades e de diversas origens. Desde o início senti um grande calor humano e um desejo imenso das pessoas de estudarem as fontes clássicas assim como as fontes relacionadas ao mundo judaico progressista atual. Para um rabino reformista, é estimulante tornar-se rabino de uma comunidade que nasceu reformista".




 Judaísmo progressista é tema de documentário
A TV Brasil transmitiu recentemente e disponibilizou na internet o episódio "Judaísmo: celebrações e costumes" da série "Retratos da fé", que já apresentou documentários sobre outras religiões.

O vídeo traz depoimentos de rabinos de comunidades filiadas à WUPJ, como Uri Lam, ainda na Sociedade Israelita da Bahia (SIB), e Leonardo Alanati, ainda na Congregação Israelita Mineira (CIM).

Também participaram das gravações o chazan David Leo Eisencraft (CIP/SP e CIP/Recife), maestro Pipo Gritz e o coral voluntário da Congregação Israelita Paulista (CIP). Naomi Greice Yamaguchi, membro deste coral e que participou do Connections 2015, no Rio de Janeiro, deu depoimento sobre sua escolha pelo judaísmo.

Confira o vídeo no link.


 Presidente da Comunidad Israelita de Concepción, no Chile, é homenageado
Mario Suwalsky foi incorporado como membro correspondente da Academia de Ciências do Chile , instituição de elite que reúne os principais cientistas do país, em uma cerimônia solene no Instituto de Chile.

Após uma apresentação sobre sua carreira acadêmica, Suwalsky fez uma palestra com resultados de suas pesquisas sobre a doença de Alzheimer.
 Capacitação musical
David Leo Eisencraft, chazan do Centro Israelita de Pernambuco e da Congregação Israelita Paulista, participou pela terceira vez consecutiva do Mifgash Musicale, em Cincinatti-EUA. Trata-se de um encontro de capacitação e aperfeiçoamento para cantores e músicos de sinagogas progressistas promovido pelo Guild of Temple Musicians em conjunto com o Hebrew Union College – Jewish Institute of Religion (HUC-JIR), em Cincinnati (EUA).

O tema do curso neste ano foi Grandes Festas, com destaque para os novos machzorim Mishkan HaNefesh, lançados recentemente pelo Movimento Reformista.

Dentre os cerca de quarenta participantes, David Leo, do Brasil, e uma representante do Canadá foram os únicos que não eram de congregações americanas.

 URJ Bienal
Representantes da AmLat na URJ Bienal e na Assembleia do WRJ – em Orlando Florida, 4-8 nov, 2015


Inscreva-se já! Junte-se aos representantes da América Latina que estarão participando, de 4 a 8 de novembro, da Bienal 2015 da Union for Reform Judaism (URJ) no Marriott World Center em Orlando, Flórida! A maior reunião judaica na América do Norte que reúne 5.000 participantes da região e também de vários países, para rezar, aprender, cantar e aprender como construir uma Comunidade moldada no futuro do movimento Progressista. Venha ouvir palestrantes como Jodi Kantor, Ari Shavit, Nicholas D. Kristof, Anita Diamant e muitos mais. Saiba quem mais se apresentará e o que há de novo este ano. Para mais informações visite www.urj.org/biennial.


WRJ Assembly 2015! Encontro paralelo à Bienal da URJ, destinado a membros da Women of Reform Judaism - WRJ e mulheres da América do Norte e de todo o mundo que se identificam com ou estão interessadas no Movimento Reformista/Progressista, que se reúnem para aprender através de várias palestras e sessões de estudo, rezar juntas, ouvir palestrantes inspiradores, dançar e cantar uma música excitante, reencontrar velhos amigos, e formam novas relações.

Saiba mais: www.wrj.org/assembly2015

Inscreva-se: bit.ly/assembly2015-register


 Seminário Beutel