Edição # 82 – Setembro de 2014 / Elul, 5774.

 Encontro da WUPJ-LA mostra força do Judaísmo Progressista na região


Cerca de cem pessoas de diversos países participaram do encontro da WUPJ-LA realizado na Sociedade Israelita Brasileira de Cultura e Beneficência - SIBRA, em Porto Alegre (Rio Grande do Sul, Brasil), entre os dias 17 e 19 de agosto. Além do Brasil, estiveram representadas congregações e as comunidades judaicas da Argentina, Chile, Colômbia, Estados Unidos, Israel, Guatemala, Espanha e Panamá.

O professor Joshua Holo, PhD. e decano do Hebrew Union College, e o rabino Joel Oseran, vice-presidente da WUPJ International, vieram respectivamente de Los Angeles e Jerusalém especialmente para o encontro.

Os debates trouxeram à tona temas relevantes para o judaísmo na sociedade contemporânea, também com atividades divididas por grupos, com a Kallah Rabínica – para rabinos e líderes religiosos; Lashir Benefesh, com músicos e chazanim; encontro de lideranças; e o Mifgash, para jovens.


Além do estímulo à formação de uma rede para viabilizar a troca efetiva de experiências, projetos e conteúdos, entre os assuntos discutidos merecem destaque a educação, tzedaká, culto, integração, cidadania, desenvolvimento comunitário, liderança e participação.

Outro destaque foi o Mifgash, segundo encontro anual para jovens judeus da América Latina, organizado pelo TaMaR, braço de jovens adultos da WUPJ International. Com a consciência de que são os líderes do futuro, os participantes levaram da experiência no Mifgash novas ideias de ações que poderão ser realizadas até o próximo encontro, no ano que vem
.

Galeria de Fotos



 Projeto Chumash – Tradução da Torá com linguagem moderna e acessível


A WUPJ-LA deu início à tradução para o português do Chumash, composto pelos cinco livros de Moisés da Torá, além das haftarot, textos escritos e inspirados pelos profetas.

Trata-se de um projeto idealizado pelo rabino Gunther Plaut para oferecer uma alternativa às congregações progressistas. Nos Estados Unidos, o Chumash em inglês já grande sucesso em quase mil congregações.

Dentre os principais objetivos da WUJP em fazer essa tradução para o português, destaca-se o fato de disponibilizar para a comunidade judaica brasileira um livro com interpretações em uma linguagem moderna, interessante e atraente, identificada com a manifestação de um judaísmo igualitário, inclusivo e moderno


 Representantes da AL participam de seminário para educadores judeus em Israel
Ricardo Cavalcanti, da ARI-RJ, e Karin Meischenguiser, da Escuela Arlene Fern, da Argentina, participaram da edição deste ano do "The Bergman Seminar for Progressive Jewish Educators", promovido pelo "The Anita Saltz International Education Center", em Israel.

Com o objetivo de promover a troca de experiências e vivenciar o cotidiano israelense, o grupo desta vez teve a oportunidade de conhecer a capacidade de resistência, coragem, compaixão e força dos israelenses em momentos de tensão.

Além das visitas a locais históricos e debates, os participantes conversaram com taxistas, garçons, comerciantes e educadores, que manifestaram gratidão por eles visitarem Israel em um período tão delicado.
 Presidente da WUPJ-LA faz convite para Connections 2015
A newsletter da WUPJ International destacou em sua última edição uma entrevista com Raul Cesar Gottlieb, presidente da WUPJ-LA, membro conselho da ARI-RJ e diretor da revista Devarim. O tema da conversa foi o encontro Connections 2015, que terá a ARI-RJ como anfitriã, entre os dias 13 e 16 de maio do ano que vem.

Questionado sobre o que gostaria de falar aos participantes do encontro no que vem a respeito da comunidade judaica local, Raul destacou que "a comunidade judaica se sente confortável no Brasil. O nível de antissemitismo é baixo, mas longe de ser irrelevante. A comunidade ficou indignada com a posição diplomática brasileira oficial sobre a Operação Margem Protetora".

Ao final da conversa, o presidente da WUPJ-LA se despediu com um "nos vemos no Rio"!

 Boas-vindas a mais uma comunidade
A Sociedad Cultural Israelita Scholem Aleijem, de Corrientes, passou a fazer parte recentemente da Associación Israelita de las Pampas (AIP), na Argentina. A comunidade será supervisionada pelo rabino Sebastian Vaistein, com o apoio do diretor Moshe Hazan Wajcer.
 Formação de lideranças judaicas será tema do Seminário Beutel 2015
O Seminário Beutel, marcado para o período de 5 a 15 de fevereiro de 2015, terá como tema "Porque a aprendizagem é o componente chave da liderança judaica". O encontro, organizado pelo "The Anita Saltz International Education Center" será realizado no Mereca Shimshon-Beit Shmuel, sede da WUPJ, com vista para as paredes da Cidade Velha de Jerusalém.

O seminário oferece a oportunidade de estudar textos históricos, discutir questões políticas e sociais atuais, explorar caminhos e conceitos de liderança judaica espirituais – tudo dentro de um contexto do judaísmo progressista.

Os participantes – rabinos, profissionais ou líderes laicos – devem ser indicados por suas comunidades. Mais informações podem ser obtidas pelo site www.saltz-center.org e por e-mail saltz@wupj.org.il.




 Comunidade de São Paulo recebe "Scholars"
O professor Joshua Holo, Ph.D, decano do Hebrew Union College, e o rabino Joel Oseran, vice-presidente da WUPJ International, estiveram em São Paulo em agosto – após participarem de encontro da WUPJ-LA em Porto Alegre – para reforçar os vínculos com a Congregação Israelita Paulista (CIP).

Os dois convidados ofereceram visões a respeito de desafios atuais da agenda do povo judeu em Israel e na diáspora, bem como temas específicos de interesse para educadores e jovens ativistas judeus e lideranças comunitárias. Um grupo de jovens ativistas que se preparam para se tornarem futuros líderes comunitários, por exemplo, conversou com o professor Holo sobre Tikun Olam e suas implicações no cotidiano de suas vidas.

Outro objetivo da visita foi ampliar o contato com lideranças voluntarias e profissionais engajados com o trabalho comunitário, além da CIP. O professor Holo esteve no Colégio I.L. Peretz, onde teve a oportunidade de conversar com o Diretor para a área judaica, rabino Rogério Cukierman, além de coordenadoras e professoras da área judaica. Ele também visitou no Colégio ALEF, acompanhado do Diretor Executivo da WUPJ-LA, Sergio Napchan, onde tiveram a oportunidade de encontrar com a Diretora da área judaica, Mariana Gottfried e as respectivas coordenadoras de áreas dos segmentos do Colégio.
 Lançamento da Revista Devarim edição #24
Na semana em que esperamos estar saindo de mais um pesadelo em Israel, a ARI lança o número 24 de sua revista Devarim.

Como não poderia deixar de ser, os cinquenta dias de guerra aberta deixaram suas marcas na revista, tanto em alguns dos seus textos como na coluna "Em Poucas Palavras" e no Editorial.

Publicamos uma entrevista com a professora americana Ruth Wisse, onde ela desmente o paradigma da guerra entre Israel e o Hamas, que para ela não é um conflito. Publicamos também um surpreendente texto do professor paulista Luís Dolhinkoff sobre as consequências da guerra de 1967, caso ela não tivesse sido vencida por Israel. Vale muito a pena refletir sobre a sua visão destes dois professores.

Ainda sobre Israel, Paulo Geiger conclui a sua brilhante análise sobre o Estado Judeu e Democrático. Focamos também nas comunidades judaicas da diáspora com excelentes e oportunas análises dos judeus na Turquia e na Alemanha. Duas comunidades europeias em momentos completamente diferentes, uma fenece a outra progride.

No lado mais ameno da vida, os Rabinos Sérgio Margulies, Dario Bialer e o Chazan André Nudelman exploram facetas da nossa espiritualidade. Ricardo Gorodovits analisa a questão da recusa do judaísmo em nomear e qualificar Deus.

E, entrando definitivamente no tema da alegria de viver, Jaime Barzellai brinda os leitores com uma inédita análise da fortíssima influência da música brasileira em Israel – uma história que demonstra o sucesso do modo brasileiro de viver.

A revista é distribuída gratuitamente aos sócios da ARI e a todos os que se cadastram no site www.devarim.com.br. O site também conta com a biblioteca eletrônica da revista.



Não deixem de procurar o seu exemplar e divulgar Devarim para os seus amigos!
 Grandes Festas 5775

Preparando para as Grandes Festas/Iamim Noraim/ARI-RJ



Elul, o último mês antes dos Iamim Noraim é pleno de significado na vida judaica. Este mês é visto como um tempo para procurar dentro de nosso coração e nos aproximarmos de Deus, em preparação para o próximo Dia do Juízo, Rosh Hashaná, e o Dia da Expiação, o Iom Kipur.

Segundo o Talmud, a palavra hebraica "Elul" pode ser expandida como um acrônimo para "Ani Le Dodi Ve dodi Li" – "Eu sou do meu Amado e o meu Amado é meu", (Cântico dos Cãnticos 6:3). Acreditando que o "amado" se refere a Deus, os sábios tomam esse versículo para descrever a relação amorosa e particularmente estreita entre Deus e Israel.

Durante todo o mês, exceto no Shabat, escutamos o toque do shofar, uma maneira pela qual – segundo Maimônides - "acordamos" nossos corações para a consciência de como estamos levando as nossas vidas, preparando-nos assim para o processo dos Iamim Noraim.

Embora o cuidado com nossas escolhas não tenha hora marcada, o Judaísmo nos oferece oportunidades para focalizar diferentes aspectos da vida. Elul, então, é o nosso tempo para começar a lembrar de tudo que podemos melhorar.


 Perguntas e respostas do judaísmo progressista

De que forma os Judeus Progressistas encaram os dias festivos do ano judaico?

O calendário Judaico tece uma teia de crenças e idealismo que liga o indivíduo à presença de Deus no universo. O conceito do Deus Único, indivisível, transcendente e imanente, é transmitido aos judeus, jovens e velhos, através da herança do ano judaico.

O Shabat nos recorda, semana após semana, as mitzvot de repouso e da alegria, do estudo e da oração. Os Yamim Noraim (Grandes Festas ou Dias Terríveis) reúnem a comunidade para o arrependimento (Teshuvá) e a renovação espiritual. Temos uma relação direta e pessoal com Deus, que pode ser restaurada através de um arrependimento sincero.

Celebramos as três antigas "Festas da Peregrinação": Pessach, Shavuot e Sucot - concluindo este ciclo com Simchat Torá. O Pessach nos fala da relevância espiritual da liberdade. Shavuot é a festa da revelação e da Torá. Sucot é a celebração de nossa gratidão pela vida e pela colheita, e é seguida pela festa da alegria pela Torá. Todas as Festas da Peregrinação estiveram, em sua origem, intimamente ligadas às estações do ano e à preservação da natureza. Estas festividades atraiam peregrinos para o Templo de Jerusalém, que durante mil anos foi o único santuário do mundo dedicado à adoração de um Deus único.

Com o passar do tempo o ano judaico passou a incluir outros dias especiais, tais como Chanuca, Purim, Yom Ha'Atzmaut (O Dia da Independência de Israel), Yom Ha'Shoah (Dia de Recordação do Holocausto) e Tish'ah B'Av (O Nove de Av).

Através da oração e dos serviços religiosos, o indivíduo e a comunidade continuam a vivenciar a presença de Deus e a renovar um compromisso comum com a experiência religiosa judaica. Os judeus progressistas observam o calendário bíblico. Tal como os judeus em Israel, deixamos de celebrar o segundo dia das festas, acrescidos na época rabínica, quando havia dúvidas acerca do momento e dia precisos do início de cada uma das festas.


 


World Union for Progressive Judaism - Latin America
http://www.wupj-latinamerica.org
contato@wupj-latinamerica.org